Notícias

Acompanhe as novidades sobre o mundo dos vinhos.

Gás argônio: como ele atua na preservação do seu vinho

Por acaso você já se deparou com a seguinte situação: um cliente vai ao seu restaurante com o intuito de degustar uma excelente taça de vinho.

Porém, na maioria das vezes, devido ao prejuízo em abrir uma garrafa de vinho mais cara e ela, consequentemente, perder as suas principais características em poucas horas, você não disponibiliza em seu estabelecimento grandes rótulos.

Para evitar uma péssima experiência do cliente em seu estabelecimento ou mesmo que você o perca para sempre e não volte nunca mais é, nesse momento, que os sistemas de preservação de vinho entram.

As máquinas de preservação de vinho permitem que grandes rótulos fiquem à disposição para a degustação dos seus clientes, sem necessidade de comprar uma garrafa inteira. Mas sem perder a qualidade. O que é uma grande vantagem econômica para o seu negócio.

Mas, você pode estar se perguntando: como os sistemas de preservação de vinhos conseguem essa façanha de armazenar o vinho sem ele perder em qualidade?

É simples: assim que o líquido cai na taça, é injetado gás argônio para preencher o espaço vazio. Com essa tecnologia o vinho não entra em contato com o oxigênio e mantém suas propriedades por até 60 dias dentro do equipamento.

Intrigado (a) com o poder do gás argônio? Então saiba mais sobre ele.

Afinal: o que é o gás argônio?

Uma das principais características do gás argônio é que ele se trata de um composto atóxico, ou seja, ele não faz mal à saúde. Seu símbolo atômico é o Ar, o gás Argônio é um gás nobre, incolor, inodoro e inerte, e seu número atômico 18, massa atômica relativa 39,95 u.

Como o gás argônio foi descoberto?

O pesquisador inglês Henry Cavendish, em 1785, quando analisava a composição do ar constatou a presença de um gás, com propriedades semelhantes ao do nitrogênio. Porém, apresentava densidade maior e não sofria reação química. Diante desses resultados, suspeitou de que se tratava de um novo elemento que acaba de ser descoberto.

Em 1894 os cientistas, Rayleigh e Ramsey, a partir dos estudos de Cavendish, isolaram o gás argônio a partir da destilação do ar líquido. Como o elemento é inerte, e mais denso do que o nitrogênio, deu origem ao seu nome que deriva da palavra grega, “Argos” que significa preguiçoso.

Transporte do gás argônio somente em caminhões refrigerados

O gás argônio é um composto que apresenta uma inércia química, ou seja, que não forma compostos estáveis à temperatura ambiente. Além disso, é 0,5 vezes mais pesado em relação ao nitrogênio, afirmação determinante em razão da percepção de Cavendish, que o nitrogênio presente em seus experimentos apresentava peso maior, em relação ao obtido de compostos.

A aquisição do argônio como gás industrial ocorre por meio do processo de destilação do ar líquido, seguido de oxidação catalítica para retirar todo o oxigênio e outros gases presentes, assim, aumentando sua pureza. Seu transporte deve ser feito em caminhões refrigerados com temperaturas próximas ao zero absoluto.

Quais as aplicações do gás argônio?

  • Isolante, preenchendo os vazios entre vidros duplos e triplos em virtude de sua baixa condutividade térmica.
  • Na fabricação de lâmpadas de iluminação comum para impedir a oxidação do filamento e em lâmpadas neon;
  • Laser para medicina oftalmológica;
  • Agente para proporcionar atmosferas inertes para soldagem de estruturas metálicas e na cristalização de silício e germânio para fabricação de semicondutores e dispositivos fotovoltaicos;
  • Nos sistemas de preservação de vinho.

Agora você sabe que é possível abrir o melhor rótulo para seus clientes e preservá-los por até 60 dias. Não terá desperdício do produto e nem deixará de agradar seus clientes.

Conheça mais a WineStation,ela garantirá a preservação dos seus vinhos, uma excelente experiência do seus clientes e um ganho considerável para você! Entre em contato agora mesmo! Teremos o maior prazer em responder!